Post Top Ad

Post Top Ad

21:09

Livro Impresso ou Digital? Eis a questão!

 Livro impresso ou digital? Vale a pena migrar para os eReader ou se manter no papel? Durante muito tempo repudiei a leitura digital até que resolvi dar uma chance para o Kindle, atualmente tenho lido tanto livros digitais quanto impressos, se esta em duvidas se vale a pena migrar eu acredito que esse artigo vai lhe dar um norte para se decidir com maior facilidade.

Fonte da imagem: pixabay.com
 Quando os smartphones e tablets começaram a aparecer logo apareceu diversos leitores de PDFs por ai, no entanto estes aparelhos não foram feitos para leituras muito extensas, seja pelo brilho ou tamanho da tela a leitura sempre se tornava cansativa, o mesmo valia para ler livros no computador, era extremamente desconfortável, por este motivo acabei repudiando os eReaders quando começaram a surgir no mercado.

 Se você é um amante de leitura assim como eu sabe muito bem que a experiencia de ler um livro vai muito além de tinta impressa no papel formando milhares de palavras, aquela sensação de cheirar o livro novo, sentir a textura das folhas e até mesmo o som das páginas passando fazem parte do contexto que torna a experiencia de ler livros impressos tão superior aos digitais, quero dizer, isso até bons eReaders passarem a notarem estes pequenos detalhes.

 O designer sul-coreano Jinsop Lee fez uma palestra excelente para um Ted chamado "Design para os 5 sentidos" que vou deixar linkado no final do artigo, ele abriu a palestra de forma bem inusitada com a pergunta "por que sexo é tão bom?", ao longo da palestra ele descreve que a experiencia do sexo é muito intensa em todos os sentidos por isso é tão satisfatório, o que isso tem a ver com os livros impressos e digitais? Tudo! A experiencia de ler um bom livro como havia mencionado vai além do visual (ler), envolve também o tátil (sentir a textura das páginas), sonoro (som das páginas sendo passadas), sentir o cheiro de livro novo (olfato), até mesmo o paladar pode estar nessa experiência se você tem o hábito de molhar os dedos para passar as páginas, enquanto no digital eles entregavam apenas um sentido, a visão.

Fonte da imagem: pexels.com
 Notar todo o contexto fez com que os eReaders como o Kindle por exemplo se tornassem tão agradáveis, apesar de não entregar exatamente a mesma experiência que os livros impressos eles conseguem simular bem, é claro que eles não conseguem entregar a experiência completa de livros impressos mas compensam com uma maior portabilidade, livros financeiramente mais interessantes e um melhor controle do fluxo de leitura.

 Outra grande vantagem dos eReaders é não ter que esperar seus preciosos livros chegarem pelos correios ou se deslocar até uma livraria para compra-los (isso é se estiverem em estoque).

 Voltando a falar em custo/benefício é preciso levar em consideração a quantidade de livros que você consume, ta certo que os livros digitais são normalmente mais baratos mas você ainda vai precisar fazer o investimento em um bom aparelho de leitura, se você lê um ou dois livros por mês eu já acho que um eReader pode ser financeiramente interessante para você, do contrário pode estar investindo muito dinheiro para um aparelho que vai ficar lá pegando poeira.

Fonte da imagem: pexels.com
 Os eReaders de qualidade como o Kindle possuem uma boa bateria que dura semanas, costumo fazer uma nova carga no aparelho depois de ter lido um ou dois livros, a possibilidade de converter arquivos PDF para o formato do Kindle também aumentou meu acervo, além dos livros acadêmicos que encontro na loja da Amazon eu também pude contar com artigos e outros materiais disponíveis na internet que só agregaram aos meus estudos.

 Mas os eReaders possuem também seus pontos negativos, devido a limitação tecnológica da maioria destes aparelhos eles não reproduzem cores, ler quadrinhos por exemplo no Kindle para mim é totalmente fora de cogitação, fora o tamanho do aparelho que torna a leitura para este tipo de conteúdo muito desconfortável.

 Grande parte dos livros acadêmicos que leio precisam de recursos visuais para ilustrarem suas teses e exemplos, estes livros no Kindle perdem grande parte de sua função, já vi por exemplo na loja da Amazon livros sobre psicologia das cores em formado do Kindle, deve ser terrível aprender sobre cores em um aparelho preto e branco né? Portanto fica a dica se os livros que você tem na sua listinha necessitarem de recursos visuais e cores os eReaders podem não ser a melhor opção, portanto apesar de ter me apaixonado pela leitura digital recentemente eu não larguei nem vou largar a leitura física.

Fonte da imagem: pixabay.com
 Portanto na hora de decidir qual formato é mais interessante para você a resposta é tão vaga quanto a pergunta, "depende", qual o seu fluxo de leitura? Que tipo de livros você costuma ler? Costuma ler em casa ou quando está fora? Etc, etc.

 Uma última dica é antes de colocar um Kindle, Lev, Kobo ou qualquer outro tipo de eReader no seu carrinho de compras de uma olhada na biblioteca virtual destas lojas, pode ser que para o tipo de material que você busca estes formatos ainda estejam meio carentes de conteúdo, livros de Design por exemplo que é minha área não há um acervo assim tão absurdo na loja da Amazon mas como também pego livros sobre Publicidade, Marketing e Brainding o Kindle se tornou uma opção interessante, é claro que isso vai depender de pessoa a pessoa.


19:00

Como Breath of the Wild se tornou meu Game Predileto

 Os jogos da franquia Zelda sempre foram minha serie predileta nos videogames, no entanto mesmo com tantos grandes jogos nenhum deles ousou tomar a medalha de ouro no meu Top 10 de melhores jogos de todos os tempos, com o ultimo jogo The Legend of Zelda: Breath of the Wild a coisa tomou outro caminho, com cerca de 20 horas ou mais de jogo já posso afirmar com certeza que este é o melhor jogo de videogame que joguei na minha vida.


 Antes de poder jogar Breath of the Wild o jogo Shadow of the Colossus era o meu jogo predileto, seguindo por Castlevania: Symphony of the Night e The Legend of Zelda: Wind Waker (sim, Wind Waker e não Ocarina of Time, apesar de amar este jogo também), o jogo causou chamou muita atenção quando foi lançado e posso assegurar que os elogios não fizeram jus ao quão fantástico é Breath of the Wild.

 O game traz muitos elementos inovadores para a serie mas não é revolucionário, na verdade o jogo pegou todos os elementos da serie Zelda e aplicou em uma mecânica de mundo aberto como The Witcher, Horizon Zero Dawn, Assassin's Creed e muitos outros jogos já haviam feito com muito sucesso.

 O game foi lançado para o Nintendo Swith que já nasceu com um hardware defasado mas uma boa direção de tarde foi capaz de tornar Breath of the Wild o jogo mais bonito que você vai ver nos próximos anos, a estética adotada faz o game parecer uma pintura nova a cada frame, sem contar um level design incrível que torna cada cenário do jogo um espaço memorável.


 Um dos pontos mais deslumbrantes do jogo é não lhe ensinar nada, o jogo lhe coloca neste mundo aberto e você não tem muito direcionamento do que realmente fazer, é uma atitude ousada mas muito assertiva por conta dos desenvolvedores, deixando de lado aquelas dezenas de tutoriais chatos que encontramos nos jogos, toda descoberta lhe da muita satisfação, o jogo tem muitas (muitas mesmo!) possibilidades, é possível fazer de quase tudo no game, e todo pensamento fora da curva é recompensador.

 Jogar uma flecha elétrica no rio para derrotar seus adversários, usar um pedaço de pau na fogueira para depois lançar em um barril de dinamites ou mesmo cortar arvores com machados para obter alguma vantagem na batalha, é inúmero as possibilidades que o game oferece e todo o cenário faz parte do gameplay, é difícil lembrar um jogo que te entrega tanto em um cenário tão imenso.

 Em Breath of the Wild as famosas Dungeons são deixadas de lado para darem espaço para as Shines, há quem sinta saudade daquelas Dungeons gigantes que fazem a cabeça fritar para desvendar os Puzzles, eu mesmo me senti órfão no começo, os Shines por sua vez apresentam pequenos desafios e grande parte da graça é explorar o imenso cenário de Hyrule procurando aonde esta escondida cada Shine, o desafio não está apenas na Shine em si mas em se jogar em uma difícil aventura para localizar cada Shine do jogo.


 The Legend of Zelda: Breath of the Wild conseguiu se destacar em uma franquia que só tem jogos excelentes, uma experiencia que vai muito além de um gameplay, jogar Breath of the Wild é testemunhar uma obra de arte ser escupida diante de seus olhos.
18:52

Ases do Cinema: Sergei Eisenstein

  Sergei Eisenstein foi o maior diretor soviético de todos os tempos, o diretor encabeçou a Montagem Soviética, um dos movimentos cinematográficos mais importantes da historia com fortes influencias de movimentos artísticos como o Futurismo e o Construtivismo.



 A narrativa e os cortes de Sergei Eisenstein influenciaram não somente o cinema russo, apelidado de o pai da montagem o Eisenstein foi o precursor de diversas técnicas que são rotineiras hoje em dia como os cortes dentro de uma única cena e a seu estilo de mostrar os objetos/pessoas ao invés de simplesmente narra-los, é comum ver hoje em dia críticos reclamarem coisas do tipo "não fale, mostre", bem, Eisenstein já fazia isso a mais de 90 anos atras.

 Vale contextualizar a época em que estes filmes foram lançados, o mundo estava se recuperando da primeira grande guerra e pouco antes de Sergei Eisenstein lançar seu primeiro filme (A Greve de 1925) Lenin havia tomado o poder e planejava expandir o comunismo em grande escala.

 Foram tempos conturbados e os filmes de Eisenstein refletiam bem o contexto,em geral seus filmes narravam grandes revoltas em prol de uma revolução na Russia ou eram épicos medievais ilustrando grandes conquistadores do passado como Alexander Nervsky ou Ivan.

Filmes Indicados


Bronenosets Potyomkin (1925)

 O Encouraçado Potemkin é o filme mais famoso do diretor soviético, dividido em cinco atos o filme narra uma revolta que se inicia dentro do navio Potemkin até chegar as cidades e a classe trabalhadora precisar lidar com a violência da guarda do Czar, entre uma das cenas mais famosas do filme, a cena da escadaria do quarto ato foi referenciada anos mais tarde no filme Os Intocáveis de Brian De Palma, se não quiser assistir muitos filmes para entender a Montagem Soviética eu recomendo dois filmes: Um Homem com uma Câmera do diretor Dziga Vertov e claro, o Encouraçado Potemkin!


Ivan Groznyy (1944)

 Ivan, O Terrível, filme de 1944 que narra a história do primeiro Czar da Russia e também um dos homens mais cruéis que a humanidade já conheceu (o apelido de terrível não é atoa!), para assistir este filme você tem que ter duas coisas em mente: este filme foi produzido para a União Soviética, para quem não se lembra muito das aulas de história pode ficar boiando em diversas partes do filme pois não é tudo bem explicado e também este filme foi encomendado pelo próprio Josef Stalin que se enxergava como uma reencarnação do Czar Ivan.

 Apesar de Ivan ser retratado como um grande herói o filme não agradou Stalin, Ivan, O Terrível Parte II foi lançado somente em 1958 pois Stalin havia banido o filme, Ivan parte III começou a ser filmado no entanto foi interrompido após a morte de Eisenstein em 1948 e tudo que havia sido filmado desta terceira parte foi destruída.


Alexander Nevsky (1938)

 Alexander Nevsky é outro filme biográfico, no longa acompanhamos a batalha do príncipe e seu exercito contra a invasão dos Cavaleiros Teutônicos, o filme foi lançado em época de guerra como uma forma de protesto contra o exercito alemão liderado por Adolf Hitler.
09:38

Programas e Aplicativos para quem Quer Desenhar no Computador (PC)

Há cerca de dois anos eu adquiri minha mesa digitalizadora da Wacom, com o tempo fui adquirindo skills e conhecendo bons softwares e aplicativos que me ajudam constantemente a praticar, este não é um artigo de como melhorar seus desenhos utilizando o tablet e sim como utilizar a "tecnologia" ao seu favor.



 Só para terem um parâmetro, eu utilizo a mesa Wacom Intuos Draw que é uma mesa digitalizadora (tablet) de entrada para quem quer começar a desenhar no computador, recomendo bastante o produto pelo seu baixo custo e ótimo benefício, seja lá qual motivo deseje adquirir este gadjet (arquitetura, modelagem, ilustração, design, etc).

 É preciso levar em consideração como serão esboçados seus projetos, sejam eles direto no PC ou assim como eu você tem preferencia em fazer os sketches (rascunhos) direto no papel, se esse for seu caso e precisar utilizar com frequência (e profissionalmente) eu recomendo que invista também em um scanner mas se você utiliza esse recurso casualmente eu recomendo o primeiro programa da lista:

Plataforma: Android, iOS, Windows Phone 8
Preço: Gratuito

 O CamScanner é o seu melhor amigo na hora de scannear uma ilustração do papel para o digital, além de possuir diversos filtros que dão um adianto na edição o app mateia todo o papel para que na hora que a foto for transformada em imagem não ocorra nenhuma distorção.

 Apenas uma dica: quando for utilizar o aplicativo dê preferencia para deixar seu papel em superfícies que a cor irá se destacar do fundo, por exemplo, se for scannear uma folha de papel A4 branca utilize uma mesa bem escura para facilitar o mapeamento do aplicativo.

exemplo de desenho que fiz scanneando pelo CamScanner


Plataforma: Android, iOS, Windows, Mac 
Preço: Gratuito

 Dropbox é um aplicativo/software de armazenamento e compartilhamento de arquivos, a grande vantagem deste programa é a facilidade de compartilhar arquivos do seu dispositivo móvel para o seu PC (e vice versa), instalando o aplicativo no seu smartphone e no seu computador (ou rodando direto do navegador) você pode compartilhar muito facilmente seus arquivos.

 Utilizo o Dropbox constantemente em conjunto com o CamScanner, faço os desenhos no papel, utilizo o CamScanner para digitaliza-lo e depois o Dropbox para armazena-lo na nuvem, afinal de contas ninguém merece ficar plugando cabos e cartões SD no computador o tempo inteiro, além de trabalhoso é desgastante.

 Há alternativas para o Dropbox como o próprio Google Drive mas este aplicativo é muito mais dinâmico que o Drive na minha opinião, utilizo o Drive para armazenar arquivos que ficarão constantemente lá como backup ou para compartilhar arquivos com um grupo enquanto o Dropbox me calha muito melhor para compartilhar arquivos "imediatos", isso é claro vai depender da preferência de cada um.

Plataforma: Windows, Mac
Preço: Gratuito (Versão Trial)

 Pose Studio é um software que vai lhe ajudar bastante para traçar seus esboços e rascunhos, o software utiliza modelos 3D para criar poses e lhe servir como referência, assim como aqueles bonecos articulados para desenho, sabe?

 Na versão Trial não é possível salvar novas poses mas o acervo inicial do programa já é bem extenso, e como é um programa recomendo principalmente para iniciantes o acervo pode render muitos e muitos exercícios para lhe ajudar a praticar bastante.

 Além de dezenas de poses é possível escolher o angulo da câmera, iluminação e outras funções, infelizmente o programa esta todo em japonês mas as funções principais pelo menos estão todas ilustradas com ícones, se estiver meio perdido até vale recorrer algum tutorial na internet, muita gente vem utilizando o Pose Studio e se dispõem para ajudar os novatos.

 Outras alternativas para o Pose Studio é o Anime Pose 3D (pago), no Pinterest também há um acerto muito grande de sketches que ajudam a ter boas referências, recorrer aos próprios bonecos de desenho articulado (os que realmente são bons custam tem um valor pouco salgado), ou o Easy Poser que eu utilizei, é bom mas sua versão gratuita tem poucos recursos.



 Estes são apenas alguns dos aplicativos e programas que me ajudam constantemente quando estou praticando, futuramente posso indicar outros softwares pois a lista é bem extensa, caso conheça algum outro não esqueça também de deixar sua indicação, abraços!
11:40

The Neon Demon: O Diabo está na Beleza

Nicolas Winding Refn é um diretor completamente fora da curva, o mundo se vislumbrou quando Drive chegou aos cinemas, ao invés de abraçar Hollywood o diretor se manteve criando filmes originais e que dividem opiniões, The Neon Demon é um filme muito peculiar e original, do tipo ame ou odeie.


 The Neon Demon (O Demônio de Néon) conseguiu estar na lista de melhores e piores filmes de muita gente, vale citar que é um filme para quem tem estomago forte e curte filmes com muitas metáforas, Nicolas Winding Refn não é o tipico diretor que entrega tudo na mão do espectador, os filmes do diretor são inteligentes, originais e reflexivos, para quem ama simbologia, metáforas e analogias é um prato cheio.

 No filme acompanhamos Jesse (Elle Fanning), aos 16 anos e recém chegada em uma pequena cidade de Los Angeles a bela garota quer se tornar uma modelo de grande renome, apesar de sua beleza e charme serem deslumbrantes o mundo do glamour necessitara que a garota tenha muito estomago para se manter no oficio.


 The Neon Demon foi um fracasso de bilheteria, o filme arrecadou 3 milhões de dólares sendo que o filme teve um orçamento de 7 milhões, a critica não foi muito generosa com o filme e o grande publico não compreendeu as entrelinhas do longa metragem, não é justo culpar o publico e a critica, como havia dito o filme não é para todos, o filme aborta diversos temas pesados e uma protagonista com 16 anos só torna o impacto ainda maior.

 No entanto é de observar a genialidade do Nicolas Winding Refn em retratar a violência e o horror, assim como em Drive, todo o horror é poeticamente mascarado, além de que toda a violência é justificada, nada no filme é gratuito e nada no filme não existe sem um proposito e uma dezena de metáforas, é um filme para ser assistido e levar dias de reflexão.


 Como é característico nos filmes do Nicolas Winding Refn a fotografia do filme é impecável, com paletas de cores saturadas, slow motion, e muitas metáforas, dando uma linha tênue entre a realidade e o surrealismo, um filme contemplativo e muito, muito bonito visualmente.

 O filme não faz uma critica apenas ao mundo da moda, o filme critica diversos padrões sociais que adotamos, o filme expõe nossas falhas e monstros e faz isso com belas imagens, muitas vezes sem ao menos precisar de uma linha de dialogo, poucos diretores tem culhões para fazer o que o Nicolas foi capaz.

 The Neon Demon é com certeza um daqueles filmes que com o tempo irão de tornar clássicos subestimados como Clube da Luta, Blade Runner e muitos outros, uma obra impecável. 

 Bem, não vou entrar em spoilers mas caso queira se aprofundar mais sobre as metáforas e simbologias do filme eu vou deixar logo abaixo o vídeo do canal Clube Cinema de Duas Portas, assista o filme depois corra para ver o vídeo, sua cabeça vai explodir!


Postagens mais antigas Página inicial