Filmes de Máfia: The Godfather (O Poderoso Chefão)


 Um dos gêneros de filme que sempre curti foram os filmes de máfia, talvez seja por este motivo que meu ator predileto seja o Al Pacino, já faz um tempinho que eu estava querendo falar desse gênero, no entanto fazer uma lista é algo que não me chamava a atenção por ter pouco espaço para falar de cada filme, portanto vou inaugurar esta sexta-feira a seção de filmes de máfia, toda sexta feira durante quatro semanas eu vou falar de um filme diferente, para começar, o melhor filme de todos os tempos: O Poderoso Chefão.


 Vou tentar não ser um fanboy descontrolado falando dessa obra prima e perfeita, sem descrever que este é o melhor filme de todos os tempos, o ápice da arte alcançado pelo homem para retratar um livro igualmente espetacular e.... ta bom, me descontrolei um pouco.

Marlon Brando como Vito Corleone, o maior papel em sua carreira.

 Baseado no livro de mesmo nome publicado em 1969 pelo escritor norte americano Mario Puzo, O Poderoso Chefão (ou no original, The Godfather) se passa no período de 1945 a 1955 narrando a historia da família Corleone e sua ligação com a máfia, o filme não é apenas sobre gangsters, o filme narra uma realidade cruel e injusta, em que trilhar seu próprio caminho seguindo suas próprias regras seja a única maneira de se manter vivo em um pais tomado pela corrupção e desigualdade.

 Don Vito Corleone (Marlon Brando) o patriarca da família abandonou ainda criança sua terra natal, Sicília na Itália, seus pais e irmão foram mortos quando Vito era ainda uma criança, jurado de morte pelo mafioso local o garoto não teve opção senão abandonar seu país para embarcar em uma realidade hostil e cruel, vivendo como imigrante nos Estados Unidos sua unica opção foi trilhar por suas próprias pernas, ditando seu próprio destino.

Al Pacino e Marlon Brando em cena

 O filme se inicia com o casamento da filha do Don Corleone, Constanzia "Connie" Corleone (Talia Shire, o nome de batismo da atriz é Talia Rose Coppola, para quem percebeu, sim, ela é parente do diretor do filme, para ser mais exato ela é irmã do diretor Francis Ford Coppola, e outra curiosidade inusitada: os irmãos Coppola são tios do Nicolas Cage), no casamento está presente os chefes das cinco famílias que controlam a cidade, políticos, artistas famosos, todos foram prestigiar o casamento da filha do poderoso Don Corleone, e claro. alguns vieram pedir pequenos favores para o patriarca, por tradição ele não poderia se recusar a fazer um pedido no dia do casamento de sua filha.

 Durante o casamento somos apresentados aos seus filhos, Santino "Sonny" Corleone (James Caan) o filho mais velho do Don, completamente devotado ao seu pai e ao caminho que o velho seguiu, Frederico "Fredo" Corleone (John Cazele) que apesar de pertencer a uma família mafiosa é completamente ingenuo e bobo, Tom Hagen (Robert Duvall) filho adotivo da família, advogado particular dos Corleone e consigliere do Don, uma especie de conselheiro, e por fim Michael Corleone (Al Pacino), o filho mais novo do Vito que sempre se manteve afastado de sua família e os negócios que eles participavam.

Francis F. Coppola (esq.) Marlon Brando (centro) e Al Pacino (dir.)

 A paz que por muito tempo se manteve entre as famílias estava prestes a terminar, o traficante Virgil "O Turco" Sollozzo (Al Lettieri) teve sua proposta de negócios recusada pelo Don Corleone, visto que Sonny ao contrario do seu pai demonstrava interesse em entrar no ramo de narcóticos o Turco tentou assassinar o Don Corleone, na esperança desesperada que Sonny assumisse os negócios da família e fizesse um acordo com ele, no entanto ao atirarem em seu pai o rapaz é tomado pelo ódio e ocupando provisoriamente o lugar de Don ele demonstra ser um chefe cruel e disposto a ver sangue, diferente de seu pai.

 Na esperança de proteger de uma vez por todas seu pai, Michael Corleone que até então um civil sem vinculo algum com a máfia acaba aceitando a proposta de se reunir com Turco e seu guarda costas, o policial corrupto capitão McCluskey (Sterling Hayden) que já havia se estranhado com Michael, o que parecia ser apenas uma reunião de negócios terminou com Michael Corleone assassinando os dois no restaurante em que estavam e fugindo do país, apesar de sempre se manter contra a máfia o amor que Michael sentia por seu pai foi mais forte, um amor tão grande que ele seria capaz de matar por seu pai, e ele matou.

 Assim começou a guerra das cinco famílias.

Michael se virando contra a lei

 Com uma direção de arte fantástica O Poderoso Chefão rendeu inúmeros prêmios, concorreu a dez Óscars e venceu nas categorias de Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado (Francis Ford Capoola e Mario Puzo) e Melhor Ator (Marlon Brando), participou em sete categorias do Globo de Ouro e venceu em cinco, Melhor Filme (Drama), Melhor Diretor (Francis Ford Cappola), Melhor Ator (Marlon Brando), Melhor Roteiro (Francis Ford Cappola e Mario Puzo) e Melhor Trilha Sonora (Nino Rota), concorreu no BAFTA do Reino Unido em cinco categorias e venceu como Melhor Trilha Sonora (Nino Rota), na premiação italiana David di Donatello venceu nas duas categorias que participou, Melhor Filme Estrangeiro e Prêmio David de Atuação (Al Pacino), e no Grammy venceu como Melhor Trilha Sonora (Nino Rota).

 O Poderoso Chefão tem ainda a incrível pontuação de 99% dos críticos do site Rotten Tomatoes e 98% pelo público, no site Metacritic ele possui a pontuação 100/100 pelos críticos do site e 9.0/10.0 pelo publico.

 Considerado o melhor filme de gangster pelo American Film Institute e o segundo maior filme de toda a história dos Estados Unidos, perdendo apenas para Cidadão Kane.

 Com um orçamento de US$ 6.500.000 o filme rendeu quase US$ 250.000.000 e rendeu duas sequencias (das quais falarem em breve aqui no 54 Cores).

Tom e Michael

 O filme é espetacular, a melhor e mais brilhante adaptação já feita de um livro para os cinemas, todos os pequenos detalhes sendo fielmente retratados, cada ator em seu papel tornando o filme uma orquestra completamente afinada e harmônica, o filme é uma total obra de arte e apesar de ser de 1972 continua eternamente vivo até hoje, toda a complexidade, toda a direção de arte, a trilha sonora, era  como se os planetas estivessem alinhados naquele momento para criar um filme sem igual, é impossível dizer que você é fã de cinema sem ter conhecido O Poderoso Chefão.

 O filme rendeu diversos jogos que falarei em breve, vale lembrar que não se trata de um filme de disputa entre gângsters e sim de um filme que fala sobre família, o filme fala sobre confiança, respeito, o amor incondicional que leva o homem a cometer loucuras, o amor que fez com que homens de bem como Michael Corleone percam completamente sua luz para proteger sua família, não se trata de uma luta de poder, dinheiro ou fama, e sim o quão longe uma pessoa pode chegar para proteger quem ele ama, o quão cruel ele pode se tornar para tornar seus filhos e sua família os mais puros.

 O filme narra a história de um homem que sacrificou sua própria vida pela vida dos outros, pelo bem deles, no entanto o mundo é um lugar hostil e cruel.

 Para aqueles que amam filmes de máfia, conseguiram admirar e entender o sacrifício de Walter White em Breaking Bad ou simplesmente amam cinema, O Poderoso Chefão é um filme obrigatório.