Jogue Agora: Devil May Cry (DmC)


 Tem gente que sempre é contra reboots, com certeza estas pessoas não são fãs de quadrinhos, se o reboot vem para melhor ele é mais do que bem vindo, este é o caso de DmC, quinto titulo da serie Devil May Cry que saiu no ano de 2013 e foi relançado este ano para os consoles de nova geração.


 Provavelmente se você curte games no estilo Hack e Slash já ouviu falar na serie, seu primeiro titulo foi lançado no ano de 2001 exclusivo para o Playstation 2 (no ano de 2012 foi lançado para Xbox 360 e Playstation 3 o jogo Devil May Cry: HD Collection contendo os três primeiros jogos da serie remasterizados), o game revolucionou e moldou o que hoje conhecemos como Hack e Slash e muitos elementos usados da época são aproveitados até hoje.

Os combates são absurdos

 DmC foi desenvolvido pela Ninja Theory (que atualmente esta trabalhando em um game chamado Hellblade e parece ser bem legal) e distribuído pela Capcom (que tinha produzido os quatro primeiros jogos da serie).

 O jogo conta o início da saga do Dante (voz de Tim Philipps), muitos elementos na historia foram alterados, preenchendo inúmeras falhas que o roteiro tinha e melhorando tudo da melhor forma possível.

Are You My Mummy?

 Os irmãos Dante e Vergil se reencontram após um longo tempo, Dante então descobre que não é humano, filho de um relacionamento entre um demônio e anjo ele pertence a uma raça chamada Nephlim, uma junção das duas raças e extremamente poderosa.

 Os filhos de Eva e Sparda então unem suas forças para acabarem com Mundus, o senhor do inferno que no passado teve Sparda ao seu lado mas o traiu para dedicar sua vida a Eva.

Dante descendo a porrada

 O game apresenta um gráfico muito bonito até mesmo hoje, usando a engine Unreal o visual é bem mais urbano e sujo, abusando da potencia gráfica que antes não era disponível mostrando um limbo psicodélico e insano, só mesmo vendo pra entender a viagem que é.

 Alias, falando em gráfico este jogo consegue mostrar bem a diferença gráfica de um jogo produzido por uma desenvolvedora norte americana pra uma japonesa, as empresas japonesas não usam engines como a Crytek e a Unreal, elas desenvolvem seus jogos a partir do zero, diferente das norte americanas que abusam dessas engines para já começar a desenvolver o jogo com um motor gráfico potente, o que da um resultado final muito mais bonito, Devil May Cry 4 é muito bonito até hoje mas não consegue se comparar com DmC, não julgo pela data de lançamento nem por ser produzido por desenvolvedoras diferentes, e sim porque esse ultimo jogo da serie usa a Unreal.

Plataformas, o Mario Bros sabe lidar com isso

 A dublagem está excelente, a voz de todos os personagens se encaixaram muito bem, Tim Philipps que dublou Dante fez um grande trabalho, o jogo não possui áudio em português mas esta todo legendado, não há o que reclamar, um grande trabalho neste aspecto.

 A trilha sonora é muito boa, a maior parte é composta de rock pesado ou eletrônica, dando uma imersão ainda maior de violência pra sentar a porrada em tudo que você ver pela frente, as músicas são tão boas que conseguiram algo que eu nunca vi na serie antes, ter músicas que definem o jogo, ter uma trilha sonora boa é algo fantástico, mas ter músicas que você pode chamar te música tema da serie é ainda mais incrível, dentre tantas músicas uma se destacou muito, se quiser conferi-la clique aqui.

 A música de abertura também é incrível, vou deixar ela pra vocês ouvirem também, só é clicar aqui para ouvi-la.

Uma das melhores Boss Fight dos videogames

 A jogabilidade é fantástica, a física do jogo não possui muita lógica como todos os jogos da serie, quem liga pra física em jogos né? Dante possui a habilidade de usar o poder arcanjo de sua mãe e o demônio de seu pai para transformar sua espada, fazendo isso é possível combinar inúmeras sequencias de golpes, o seu maior limite vai ser sua criatividade.

 Os inimigos são até bacanas mas o destaque mesmo vai para os chefes, são bem originais e insanos, destaque para a batalha contra Lilith e o Bob Barkas, é muito louco mas bom demais.

 Para quem já está acostumado com jogos do gênero já pode colocar direto no difícil (e ainda sim eu considerei a dificuldade razoável), a jogabilidade é tão boa que é complicado ter um grande desafio (a não ser naquelas dificuldades insanas que você morre ao levar um único golpe, ai é injusto).

 O game recebeu uma media de 85% no site GamerRankings e no Metacritic, pelo publico há uma grande divisão de opiniões, a quem ame e quem odeie, a maior parte que odeia critica a mudança que a serie teve mas não chegou nem ao mesmo testar o game, sempre coloco as notas nas postagens mas isso não se deve ser levado muito em consideração, pessoas dizem muita merda sem ao mesmo saberem o que estão falando.

 DmC está disponível para Xbox 360, Playstation 3, PCs e recentemente o jogo foi relançado para Xbox One e Playstation 4, já contendo as DLCs.