Leia Agora: Liga da Justiça The Nail


 Se tem uma coisa que eu curto bastante nos quadrinhos é a facilidade dos roteiristas e desenhistas soltarem a imaginação, não vemos um filme ou outra mídia por exemplo que os produtores tem tal liberdade, imaginando se acontecesse "isso" ou "aquilo" como poderia alterar toda a historia que conhecemos, felizmente nos quadrinhos temos muitas e boas histórias sobre estas histórias paralelas.


 Liga da Justiça: The Nail (O Prego) tem o roteiro e desenhos nas mãos de Alan Davis (já trabalhou com ilustres personagens como Capitão America, Batman, Os Vingadores, dentre outros trabalhos de grande destaque), já a arte final está nas mãos de Mark Farmer que ficou reconhecido graças a seus trabalhos com Alan Davis (esta HQ em questão é uma das mais importantes para a carreira de ambos).

A ideia do quadrinho nos leva ao ponto inicial que comecei esta postagem, imaginem que por ironia do destino um prego ficou preso em uma roda da caminhonete dos Kents, portanto não saíram da fazenda rumo a Metrópolis e jamais encontraram o garoto Kal-El que viria a ser Clark Kent, o filho adotivo do casal.

Sorria Batman você está na TV

 Os heróis que no passado salvaram a população estão cada vez sendo menos queridos, a situação entre os meta-humanos e a humanidade esta cada vez mais frágil, com a eleição para presidência dos Estados Unidos da America Lex Luthor promete acabar com todos os "alienígenas", Batman é visto como um demônio sanguinário e por fim o auge do ódio pelos meta-humanos: Oliver Queen, o Arqueiro Verde que perdeu um braço em combate enlouquece e vai a rede publica destruir a imagem da Liga da Justiça.

 Apesar de simples a proposta do quadrinho consegue ser fantástica, somos apresentados a uma Liga da Justiça instável, com conflitos internos e externos praticamente sem solução, o medo e desespero é perfeitamente implantado pelos roteiros do Alan Davis, vemos um Batman praticamente intocável ser destruído de forma avassaladora.

Um dos momentos mais tensos da HQ

 Liga da Justiça: The Nail tem um desfecho e desenrolar surpreendente, a proposta apesar de simples foi muito bem desenvolvida pelo Alan Davis, lançada originalmente em três edições chegou aqui em um volume único (não tenho certeza se antes foi publicada em volumes separados).

 O encadernado da editora Mythos tem uma qualidade incrível e vale a pena estar na estante de qualquer fã de quadrinhos.