To Jogando: Diablo III


 Em 1996 foi lançado o primeiro titulo da serie Diablo, disponível para PCs e Playstation, cheguei a experimentar apenas a versão dos consoles, confesso que na época que joguei achei o jogo bem ruim, até que anos depois por insistência de um amigo acabei jogando o Diablo II, este que foi exclusivo dos PCs, curti bastante o jogo na época, cheguei a jogar de Paladino e Necromante mas nunca cheguei a terminar o jogo, anos e mais anos depois a Blizzard retomou a serie lançando Diablo III, para ser mais exato a serie voltou em 2012, 12 anos depois do segundo jogo da serie.


Jogar uma partida local com amigos é legal pra cacete

 A primeira vez que joguei Diablo III foi na casa de um amigo no PS3, acabei jogando de Feiticeiro (fui o player 4 e só não tive muitas opções de escolha) mas curti muito o personagem apesar de meio bizarro, as versões do console tornaram o game muito mais dinâmico e rápido, com a adição da esquiva e um inventario muito mais simples de se mexer, tudo isso me atraiu bastante e me fez querer buscar este jogo para detona-lo.

 O enredo do jogo se passa 20 anos após os eventos de Diablo II, um cometa cai a terra exatamente no mesmo lugar onde Diablo havia sido destruído, acontece que o cometa na verdade é um homem misterioso que veio de um lugar distante para trazer uma terrível visão no entanto ele acaba perdendo sua memoria, cabe a Deckard Cain (voz de Pietro Mário na versão em português) e sua neta Léa (Adriana Torres) impedirem o retorno dos senhores do inferno.

Arcanista, Bárbaro e Caçador de Demônios

 No jogo há cinco classes para as versões normais de Diablo III e seis para a expansão Reaper of Souls: Bárbaro, Caçadora de Demônios, Monge, Arcanista, Feiticeiro e Cruzado (esta ultima exclusiva pra expansão), cada um com suas características únicas, cheguei a completar o jogo com Caçador de Demônios e já joguei bastante com Bárbaro e testei também Feiticeiro e Arcanista.

 A versão comum do jogo é dividida em 4 atos, já a expansão possuí 5 e diversas outras melhorias, além de vilões clássicos como Baal e Diablo, outros personagens estão de volta ao game, como Tyrael (voz de Márcio Simões, o dublador recorrente do ator Samuel L. Jackson) e Deckard Cain (que esta presente desde o primeiro game da serie).

Monge lascando a porrada

 Diablo III foi alvo de diversas críticas, muita gente reclamou por o jogo não permitir mais a distribuição de pontos nos atributos o que na minha opinião era confuso e desnecessário, os servidores estavam instáveis durante as primeiras semanas que o jogo saiu o que ocasionou muita dor de cabeça para quem queria jogar online.

 Fora isso teve o caso de um fã que terminou o jogo 12 horas depois que o game foi lançado e até um garoto que chegou a morrer após passar 3 dias jogando sem parar, se você pega o jogo por 12 horas seguidas não é nenhuma surpresa terminar (alguns CODs da vida tu termina em menos de 4), e se você joga por 3 dias seguidos, na boa, tava querendo o que?

As Artworks são incríveis

 Até entendo as reclamações dos jogadores e a campanha é relativamente pequena pela forma com que você fica imergido no game mas o fator replay é incrível, acabei de terminar o modo normal e já comecei a jogar o modo pesadelo que desbloqueou novos itens para melhorar a ferraria e joalheria e assim tornar meu caçador mais poderoso e o game é até hoje uma das melhores opções para se jogar em grupo, o multiplayer de sofá esta cada vez mais raro.

 Muitos dubladores famosos participaram da produção do jogo, o que deveria sempre ser feito (colocar Roger ou Pitty da merda), a trilha sonora do game é muito boa também.

 O game possui uma média de 87 no Metacritic e Game Ranking, em seu dia de lançamento o game vendeu 3,5 milhões de cópias.

 Diablo III é um excelente game para quem busca um bom RPG de ação com uma jogabilidade simples mas viciante, quem quiser conhecer mais sobre o enredo da serie a Blizzard lançou uma HQ e diversos livros após o lançamento do game, vale a pena conhecer.