Doctor Who - The Witch's Familiar (Crítica)


 Ta, eu sei que to meio atrasado para fazer a crítica do segundo episódio de Doctor Who, eu sei, eu sei, mas acabei ficando enrolado com diversas outras coisas dentro do blog e fora dele, então antes Tardis do que nunca né? (que piada horrível).

 Então vamos a crítica de The Witch's Familiar, lembrando que esse post tem spoilers.

 The Witch's Familiar, o segundo episódio da nona temporada de Doctor Who escrito pelo nosso querido Steven Moffat foi bacana, admito, mas não foi tão bacana quando o The Magican's Apprentice (clique aqui para ler a crítica), toda a reviravolta que se prometia para essa temporada foi desfeito nos primeiros minutos, Clara (Jenna Coleman) e Missy (Michelle Gomez) estão vivas, acontece que a Missy usou a tecnologia dos Daleks para se teleportar usando como energia os disparos dos Daleks, foi dessa mesma forma que ela sobrevieu no final da oitava temporada, achei bacana a explicação mas todo o suspense do primeiro episódio foi desfeito logo de inicio.

Doctor e Clara

 Enquanto isso o Doctor (Peter Capaldi) e Davros continuam conversando, há longas cenas de dialogo entre os dois (até demais) no entanto vemos os dois após tantos confrontos demonstrando respeito um pelo outro, achei isso bem bacana, e quase acreditei que Davros não teria nenhum plano maligno mas ele teve.

 Davros desejava ver o nascer do sol por uma última vez antes de morrer, para realizar seu ultimo desejo o Doctor lhe doa um pouco de sua energia de regeneração, acontece que esse era um plano do senhor de Skaro para fortalecer seus Daleks, o Doctor no entanto previu isso, e ao usar seu poder de regeneração ele acabou acordando os Daleks que foram descartados e jogados aos esgotos, ocorre então uma dispulta entre os próprios Daleks, parece que o jogo virou não é mesmo?

Estou brilhando! Estou brilhando!

 O episódio foi bom, mas achei ele muito arrastado, realmente havia necessidade para contar a história toda em dois episódios? Um único episódio mais longo poderia resolver isso, já tivemos episódios de Doctor Who de estreia da temporada que durou mais que o habitual, uns 10 minutos no máximo daria pra contar tudo sem enrolar.

 Esperava que realmente fosse uma despedida do Davros agradecendo e respeitando o Doctor por ele ter o ajudado quando criança, seria um desfexo inusitado e uma bonita homenagem a tantos confrontos que os dois tiveram ao longo da serie, infelizmente o enredo pesou para o lado clichê, uma pena mesmo.

 Se fosse dar uma nota, o primeiro episódio seria 10 e o segundo 7, acima da média, bom, mas não foi expetacular, talvez seja culpa minha, afinal depois de uma estreia de temporada tão boa minhas expectativas estavam lá no espaço, ainda sim um episódio bacana, vale a pena ver sim.

 Preview do terceiro episódio: