Deadpool: Meus Queridos Presidentes (Crítica)

 Deadpool: Meus Queridos Presidentes foi uma sacada genial por parte da Panini aqui no Brasil, aproveitando a onda do filme a editora lançou esse quadrinho em capa dura e nem precisou de um bom trabalho de marketing, todo o sucesso da longa metragem já serviu para divulgar a obra nas bancas, seria tudo lindo e maravilhoso se a história não fosse tão mediana.

 Deadpool: Meus queridos Presidentes foi escrito por Gerry Duggan e Brian Posehn (que também é ator e dublador), as ilustrações ficaram a cargo de Tony Moore (The Walking Dead). O encadernado reúne as edições 1 a 6 de Deadpool (Marvel Now) em 140 páginas.

 Um aspirante a mago está insatisfeito com o povo americano, então ele decide trazer os presidentes mortos de volta a vida para colocar os Estados Unidos nos eixos, no entanto a coisa toda da errada e os presidentes zumbis decidem matar todo mundo, a Shield decide intervir nos crimes dos presidentes, no entanto para não "queimar o filme" dos heróis eles decidem contratar o mercenário tagarela, Deadpool.

Eca!
 A ideia de Wade Wilson lutar contra presidentes zumbis como John Kennedy ou Richard Nixon parecia ser muito boa mas se perde no meio de piadas ruins e uma trama pouco empolgante, todo o desenrolar da aventura é extremamente arrastada e nem mesmo as cenas de sangue e violência conseguiram salvar Deadpool.

 Ponto positivo para o quadrinho é a arte de Tony Moore, ele mostra todo seu talento e fama que o consagrou desde quando começou a desenhar The Walking Dead, é uma pena que o roteiro não consegue acompanhar a arte do Moore.

 Um Easter Egg bacana: vi pouca gente comentando mas em uma cena do quadrinho é feito uma paródia com uma HQ clássica do Superman, Superman vs Muhammead Ali, deem uma olhada:

Detalhe do Demolidor fazendo a vez do Batman ali em baixo
 Ao menos Deadpool: Meus Queridos Presidentes serve como uma aula para conhecermos melhor os nomes dos presidentes dos Estados Unidos, tirando isso e a arte do Tony Moore pouca coisa salva, não é de tudo sem graça mas fica abaixo da média, recomendo comprarem se o quadrinho estiver em alguma promoção, afinal tem muita coisa melhor do personagem por ai.

 A Panini escolheu o melhor momento para lançar o quadrinho, só é uma pena que não era a melhor opção de entretenimento com o Deadpool...

 Já leu Deadpool: Meus Queridos Presidentes? Está querendo adquirir? Deixe sua opinião nos comentários.