O Retrato de Dorian Gray: Um filme sobre uma alma corrompida

 O Retrato de Dorian Gray é um filme britânico de 2009 baseado no livro de mesmo nome, escrito pelo irlandês Oscar Wilde em 1890, o filme faz uma crítica ao narcisismo e a distorção de valores, mostrando um personagem corrompido pela luxuria e prazer da juventude.

 Dorian Gray (Ben Barnes) acaba herdando uma grande fortuna e se muda para Londres, o garoto inocente que pouco entendia o ambiente em que agora pertencia acaba se tornando amigo do pintor Basil Hallward (Ben Chaplin) e do Lorde Henry "Harry" Wotton (Colin Firth), o primeiro sendo claramente atraído por Gray enquanto Harry se torna um conselheiro do garoto (seria o anjinho e o diabinho tentando guiar a pessoa).

 Dorian seduzido pelo seu novo estilo de vida acaba desejando ser eternamente jovem e belo, eis que por obra do destino ele consegue, o retrato pintado por Hallward acaba envelhecendo em seu lugar enquanto Dorian Gray se mantem sempre jovem e sem um único arranhão, quanto mais perverso o garoto se tornava mais decadente e diabólico o quadro aparentava, como se fosse um reflexo de sua alma.

O retrato de Dorian Gray
 O filme tem uma fotografia belíssima, toda a ambientação é muito bem retratada e acompanhada de uma trilha sonora muito bacana.

 Curti muito a transformação do protagonista, o jovem e ingenuo Dorian Gray se torna um homem amargurado e insensível, enquanto seu mentor Harry que curtia uma vida de putaria se amedronta com o monstro que criou ao longo dos anos.

Harry e Dorian
 O Retrato de Dorian Gray recebeu notas medianas em sites de crítica, não há nada de espetacular mas não chega a ser um filme ruim, ele está disponível na Netflix então se você é assinante deste serviço dos deuses, coloca lá na tua lista e pega para assistir e tirar suas próprias conclusões, apesar de tão criticado eu gostei, não é espetacular mas foi legal.

Só não recomendo assistir com seus pais, afinal o filme é cheio de "nheco-nheco" e "tchaca-tchaca-na-butchaca" (se é que me entendem), nada explicito mas ainda sim eu acharia constrangedor...