Como Começar a Ler Quadrinhos da DC Comics

 A DC Comics foi fundada em 1934, inicialmente o seu foco era compilar tiras de jornais, com o passar do tempo a companhia começou a trazer material original as bancas, revistas como Detective Comics e Action Comics logo se tornaram gigantes de venda e hoje a DC Comics é uma das maiores empresas de quadrinhos do mundo, para quem nunca leu ou conhece pouco sobre a empresa eu vou listar alguns motivos para quem quer começar a ler e gostar da DC Comics.



 A proposta dessa postagem não é fazer comparações com outras editoras como Marvel ou Image e ficar dizendo qual é melhor, cada editora seus pontos altos e baixos e cada uma segue uma linha completamente diferente, e quem é fã de verdade de quadrinhos não defende uma editora, defende boas histórias.

 Antigamente a DC Comics tinha quase um monopólio nas industrias de quadrinhos e constantemente ia adquirindo editoras menores, além do selo tradicional da DC Comics temos também a Wildstorm e a meu selo predileto: Vertigo, voltado para o publico adulto, cada selo da empresa tem uma proposta completamente diferente e pode agradar os mais variados públicos.

 Nessas aquisições de diversos personagens as histórias começaram a ficar confusas e quase impossíveis de entender, foi então que em 1985 a DC criou sua maior saga para unificar todas estas histórias: a Crise nas Infinitas Terras.

Batman e Robin desenhados pelo mestre José Luis García-López

 O Gênero de quadrinho de super heróis para um publico mais velho nasceu com a DC Comics, o roteirista Dennis O'Neil e o artista Neil Adams criaram um quadrinho do Lanterna Verde e Arqueiro Verde que mudou para sempre os paradigmas dos quadrinhos, dois heróis viajando pelos Estados Unidos lutando contra as drogas e o racismo, além de lutar contra problemas reais o quadrinho fez muita gente que repudiava o gênero olhar com outros olhos.

 Falando em quadrinhos direcionados para o publico mais velho a DC publicou diversas obras que estão entre os melhores quadrinhos de todos os tempos, é o caso de Watchmen escrito pelo Alan Moore ou Sandman do Neil Gaiman.


Superman e Supergirl

 Além de grandes escritores a DC Comics sempre teve grandes desenhistas, John Byrne com seu trabalho em Superman, Alex Ross em Reino do Amanhã e diversos outros grandes desenhistas.

 Um destaque especial para José Luis García-López, o artista definiu todo um gênero dentro da editora e sua arte sequencial beira a perfeição.

 Os quadrinhos da DC sempre falaram de múltiplas terras e realidades alternativas, recomendo que procurem Batman O Cavaleiro das Trevas do Frank Miller e Superman Entre a Foice e o Martelo do Mark Millar para entender um pouco como a DC gosta de trabalhar com essas histórias alternativas.

Hal Jordan, o segundo Lanterna Verde

 Um detalhe muito interessante nos personagens da DC Comics é que eles são visto como "deuses", não são perfeitos e possuem dilemas colossais, os heróis precisam carregar o peso do mundo nas costas e suas ações influenciam na vida de todo o universo.

 Em uma frase tirada do Reino do Amanhã sobre o Superman define bem o conceito adotado pela DC Comics: o maior poder do Superman é saber distinguir o certo do errado.

 Mas apesar de todo o poder que possuem, apesar de toda a bondade e de toda a inspiração que eles influenciam os personagens não são perfeitos, afinal de contas "se Deus é todo poderoso ele não pode ser totalmente bom, e se ele é totalmente bom não pode ser todo poderoso", não é mesmo Lex?

Mulher Maravilha

 Já passou pela DC Comics os melhores roteiristas e desenhistas do mercado, é impossível listar as grandes sagas e como seus quadrinhos impactaram o mundo, muitas vezes a editora comete erros no entanto o legado que  os personagens tem é mais forte, a DC Comics vem sendo fortemente criticada desde a criação dos Novos 52, muita coisa bacana apareceu nestes quadrinhos e com o Rebirth o futuro é muito promissor, o impacto que os personagens tem nas pessoas vai muito além das páginas e do nanquim e se procurar por boas histórias com certeza você vai se tornar um amante da empresa, assim como eu.