Homem-Aranha: A Última Caçada de Kraven (Crítica)

 Se fizer uma busca das melhores histórias do Homem-Aranha em 11 das 10 listas que você encontrar A Última Caçada de Kraven vai estar entre elas, seguindo a onda de quadrinhos como Batman: O Cavaleiro das Trevas e Watchmen esta história tem uma pegada mais adulta e sombria que os quadrinhos casuais do amigão da vizinhança.




 Os roteiros são do John Marc DeMatteis (Liga da Justiça Internacional) e os desenhos são feitos pelo Mike Zeck (Marvel: Guerras Secretas), o quadrinho é dividido em 6 capítulos e foi publicado originalmente em 3 revistas diferentes (ainda bem que hoje temos encadernados).

 Kraven sabe que lhe resta pouco tempo de vida e decide fazer uma última caçada a uma presa que ele jamais conseguiu pegar: o Homem-Aranha, para isso o Kraven decide não apenas derrota-lo mas provar para o Homem-Aranha que ele é superior a ele em todos os aspectos, assim após enterrar o Peter Parker vivo ele assume o manto de Homem-Aranha para provar para si mesmo que é superior e resgatar sua honra.

 Enterrar o Homem-Aranha vivo não é spoiler algum afinal isso é mostrado em diversas capas do quadrinho.


 Quase todo mundo que leu este quadrinho ficou maravilhado e considera uma obra prima, eu até gostei mas a expectativa estava alta demais, há pontos positivos como a falta de dialogo em diversos quadros que eram uma novidade para a época e uma abordagem mais realista e adulta colocaram A Última Caçada de Kraven como um quadrinho a frente de seu tempo.

 No entanto o excesso de metalinguagem para narrar os acontecimentos acabou me incomodando, em diversas situações o quadrinho fica cansativo de tanto repetir as mesmas coisas tentando dar uma profundidade épica aos acontecimentos.

 Os monólogos do quadrinho que são um dos grandes atrativos da obra são cansativos, tanto o Homem-Aranha quanto o Kraven estão repletos de questionamentos, inseguranças e medos em seus pensamentos, é bacana mas o DeMatteis repete tanto as coisas que você acaba ficando de saco cheio.


 Eu não acho o quadrinho ruim, apenas as expectativas estavam tão altas que eu estava esperando ler a melhor obra da Marvel já feita na história, A Última Caçada de Kraven também é repleta de bons momentos, e a conclusão da história é de encher os olhos, foi surpreendente e magnífico.

 Os conflitos internos dos personagens são muito bem construídos, as motivações do Kraven e a insegurança do Peter Parker e da Mary Jane que se casaram a pouco tornaram tramas brilhantes para a proposta mais sombria do quadrinho.

 Eu recomendo sim A Última Caçada de Kraven mas o quadrinho tem certos momentos que incomodam bastante e se você não estiver na pegada a história não te ganha, recomendo ler antes outras obras do Homem-Aranha antes de ler esta.


 Homem-Aranha: A Última Caçada de Kraven
 Roteiro: J. M. DeMatteis
 Desenho: Mike Zeck
 Editora: Marvel Comics