Homem-Aranha: Último Desejo (Crítica)

 Não é nenhum spoiler dizer que na serie Homem-Aranha Superior o Dr. Octopus trocou de corpo com o Peter Parker e se tornou o novo Homem-Aranha, a serie gerou controversas e há quem ame e quem odeie, atualmente a Panini está republicando essa fase em encadernados em capa dura e se quiser entender o que realmente aconteceu é preciso antes de mais nada ler Homem-Aranha: Último Desejo.






 Não faz muito tempo que a fase Superior foi encerrada, a mensal teve 19 edições e atualmente está sendo republicada em encadernados de capa dura (já foram lançados três volumes e em breve será lançado o último), no entanto é recomendável ler antes Último Desejo para entender como o Dr. Octopus e o Peter Parker trocaram de corpos, e meus amigos, é simples mas genial o desenrolar desse quadrinho.

 A maior parte do encadernado tem os roteiros do Dan Slott e os desenhos do Humberto Ramos, dupla que vem cuidando dos quadrinhos do amigo da vizinhança a um bom tempo.

 Os desenhos do Humberto Ramos são muito bonitos, as cores deixam o quadrinho com um aspecto de desenho animado e o traço mais estilizado caiu perfeitamente para o quadrinho, os roteiros do Dan Slott por sua vez são simples mas muito bem escritos, a ideia que o roteirista teve para o desenrolar da história foi simples e brilhante ao mesmo tempo, com alguns plot twists que explodem a cabeça.


 Octopus por estar no corpo do Parker acaba recebendo todas suas lembranças, o doutor então começa a entender suas motivações e responsabilidades, por mais que não tenha sido ele que viveu as experiencias elas de certa forma mexeram com o vilão.

 Todo o quadrinho te da a falsa impressão que será mais do mesmo e no final te surpreende, uma ideia ousada e muito bem bolada pela dupla Slott e Ramos, vale demais sua leitura.


Homem-Aranha: Último Desejo
Roteiro: Dan Slott
Arte: Humberto Ramos
Publicado em: setembro de 2015
Editora: Marvel Comics