The O.C. "um estranho no paraíso"

 Recentemente a Netflix disponibilizou no seu catalogo as quatro temporadas do seriado The O.C., aproveitei a oportunidade para assistir toda a serie e relembrar alguns personagens e histórias que marcaram minha infância.



 The O.C. foi exibido na Warner entre 2003 há 2007, aqui no Brasil a serie se popularizou ao ser exibido no SBT nas manhãs de domingo, numa época pré internet era um dos meus passatempos prediletos ficar a manhã inteira assistindo a grade de series que o SBT exibia, The O.C. sempre foi uma das minhas series prediletas, ao lado de Gilmore Girls é claro!

 A serie acompanhava o problemático Ryan Atwood (Ben McKenzie) se mudando para Orange Coutry, uma região rica da Califórnia, lá ele precisava se adaptar a uma nova família e um estilo de vida completamente diferente.

 Ryan acaba se apaixonado pela sua vizinha, Marissa Cooper (Mischa Barton) que apesar de muito atraente e popular passa por diversos problemas, Ryan também estabelece uma forte amizade com seu novo irmão, Seth Cohen (Adam Brody), no qual sempre foi apaixonado pela melhor amiga da Marissa, Summer Roberts (Rachel Bilson).


 A serie aborta diversos temas como alcoolismo, drogas, violência e etc, tudo bem embalado em uma trama adolescente mesclando brilhantemente momentos de humor e drama.

 Ryan apesar de fechado e problemático acaba mudando a vida de todos ao seu redor, muitas vezes também trazendo diversos problemas para seus amigos e familiares, a serie aborta muito bem o amadurecimento dos personagens que estão prestes a ingressar em uma vida adulta cheia de incertezas e duvidas paralisantes.

 Para os amantes de quadrinhos e cultura pop The O.C. é um prato cheio de referencias, principalmente por parte do Seth, o personagem é um grande amante de quadrinhos, videogames e cinema e constantemente nomes como Brian Michael Bendis e Stan Lee são citados.


 The O.C. foi cancelado após uma estranha quarta temporada, apesar da ultima temporada ter deixado um pouco a desejar a serie é excelente e vale demais a pena ser assistida, aproveitem que tem tudo na Netflix (inclusive com a versão dublada da SBT) e feliz Natanukkah a todos!