Lobo Solitário: Uma das obras supremas da narrativa gráfica!

 Lobo Solitário voltou! O mangá foi pioneiro na publicações de quadrinhos japoneses no território nacional, isso em uma época que o termo mangá sequer existia por aqui, finalmente o mangá será republicado em uma edição fiel e digna do poder que esse quadrinho tem.


 Lobo Solitário chegou no Brasil pela primeira vez em 1988, um ano após o mangá ter chegado nos Estados Unidos, inicialmente foi publicado pela editora Cedibra em nove edições (todas em formato americano e ignorando diversas edições), em 1990 o mangá começou a ser publicado pela Nova Samba, no entanto a publicação foi interrompida em 1993, também em formato americano e como as edições da Cedibra, usou as capas desenhadas pelo Frank Miller.

 Em 2005 o mangá mais uma vez foi republicado, desta vez pela querida Panini, infelizmente estes volumes se esgotaram muito rápido e se tornou uma peça valiosa para os colecionadores, felizmente a Panini voltou a republicar o mangá, o primeiro volume já foi lançado e o segundo está a caminho, vale citar que a qualidade dessa republicação está impecável, digna de estar na estante de qualquer colecionador.

 No Japão o mangá foi publicado em 28 edições, entre 1970 até 1977.


 Lobo Solitário se ambienta no Período Edo, o protagonista Itto Ogami era um executor direto do Xogum, no entanto a família Yagyu arquitetou uma farsa para que a família Ogami fosse tomada como traidora, Itto Ogami foi intimado a cometer Seppuku (uma especie de ritual de sacrifício realizado pelos samurais), no entanto Ogami decide fugir com seu filho Daigoro, vivendo como um mercenário de aluguel enquanto arquiteta sua vingança contra a família Yagyu.

 O mangá foi inovador na sua narrativa visual e por atingir um publico adulto. a obra influenciou diversas outras obras, Frank Miller foi totalmente influenciado pelo Lobo Solitário, Miller inclusive foi o responsável por trazer o quadrinho para os Estados Unidos, se dispondo a desenhar as capas dos mangás para se tornarem mais atrativos para o publico norte-americano daquela época.


 Lobo Solitário traz histórias muito a frente do seu tempo, boas cenas de ação e histórias profundas, o mangá sobreviveu bem ao tempo e pode também interessar o publico mais jovem que não acompanhou as publicações na época.

 A obra também chegou a ser adaptada para os cinemas, em um total de seis filmes, infelizmente sem um final.

 Duas series também foram produzidas, a primeira em 1973, na qual foi exibida aqui no Brasil pela TVS com o título de Samurai Fugitivo, a segunda estreou em 2002.

 Vale citar que Lobo Solitário também ganhou um game para os arcades, com o titulo de Kozure Ōkami, lançado em 1987 pela Nichibutsu apenas para território japonês.

 Lobo Solitário foi escrito por Kazuo Koike e desenhado por Goseki Kojima, duas lendas dos quadrinhos no Japão.